Limonella

Código Vaso h cm Peso Kg Preço Obs                            
10.00213 14   0,000

13,38 €

 
10.00000     0,000

  0,00 €

 

(Eustis limequat)

ORIGEM

O Eustis resultou de um cruzamento entre o Key Lime e o Marumi Kumquat, desenvolvido na Florida, por W.T. Swingle, em 1909. O Eustis é o mais comum dos Limequats e, tratando-se de uma planta resistente, é perfeita para interior ou, no Verão, para pátios e varandas. O fruto, normalmente, comestível na totalidade, apresenta uma casca de sabor doce, a polpa é agridoce. O sumo é bastante ácido, contém uma quantidade considerável de vitamina C e é muito utilizado na culinária e em bebidas.

FLORAÇÃO/FRUTIFICAÇÃO

A floração decorre de Junho a Setembro, estando o fruto maduro em Novembro. A Limonella é conhecida pelas suas propriedades curativas para indigestões e hipertensão.

Os citrinos ornamentais são utilizados, com sucesso, como plantas domésticas, no Norte da Europa, há vários séculos. O Laranjal de Versalhes (L’Orangerie du Château de Versailles) foi plantado por Jules Hardouin-Mansart, entre 1684 e 1686. Luís XIV, maravilhado com a sua coleção de citrinos do laranjal, no Inverno, transplantou-os para o jardim, no Verão. Da enorme variedade de citrinos existente no laranjal, alguns são ainda da coleção original.

Seguindo esta tradição, no Inverno, o seu citrino pode ser mantido no interior e no Verão, no exterior. Quando enxertadas ( poncirus trifoliate), tornam-se mais resistentes e podem suportar geadas leves, durante algumas horas, embora as baixas temperaturas sejam sempre de evitar. A temperatura ideal de Inverno é acima dos 4º de noite, e dos 10º durante o dia.

No Verão, crescem bem em qualquer lugar com temperaturas entre os 15º e os 35º. Podem manter-se durante todo o ano num parapeito de janela, ou noutro local dentro de casa onde haja muita luz natural, e mudadas, no Verão. Tenha cuidado quando mudar a planta para o exterior, uma vez que uma alteração drástica nas condições da luz, poderá queimar as folhas. A planta deve adaptar-se à incidência direta de luz solar através da colocação de uma rede que lhe dê cerca de 25% de sombra ou da sua mudança gradual para o exterior, aumentando progressivamente os períodos de exposição solar.

Fatores importantes a ter em conta

A forma como rega o seu citrino é decisiva para a sua saúde, frutificação e longevidade.

Quando e como devo regar o meu citrino?

Uma planta de interior ou pátio, deve ter boa drenagem pelo fundo do vaso. Regue sempre no topo até a água chegar à base do vaso. A quantidade de água em cada rega deve ser cerca de 10% do volume do vaso, evitando sempre molhar a folhagem. Certifique-se que sai alguma água dos buracos na base.

Se a sua planta estiver dentro de casa ou no parapeito de uma janela, o mais provável é que esteja no seu vaso de plástico original, que terá, entretanto, colocado num pote de cerâmica sem buracos.

Teste o peso da planta e observe as suas folhas

Pode saber quando precisa de água através das folhas e se levantar o vaso para testar o seu peso. Quando estiver leve e as folhas tiverem perdido o seu verde natural ou estiverem prestes a murchar, é sinal que precisa de rega. Retire-a do pote cerâmico e banhe o vaso numa bacia em água até o seu substrato estar totalmente hidratado. Retire-a, escorra-a durante alguns minutos e volte a colocar no pote de cerâmica. Os citrinos não gostam de pés molhados durante muito tempo, pelo que deverá certificar-se que não deve haver água no pote de cerâmica.

Depois de regar a sua planta, sugerimos que a segure na sua mão e sinta o seu peso. Poderá, depois, usar isso como referência para a próxima rega. Depois de algum tempo, esta técnica permitir-lhe-á avaliar, de uma forma precisa, a necessidade de rega.

Sintomas de excesso de rega

Se regar a sua planta em excesso de uma forma consistente, fará com que as raízes deixem de receber oxigénio, impedindo que funcionem corretamente. As folhas começaram a ficar mais pálidas e a apresentar sintomas de clorose e as raízes ficarão mais suscetíveis a doenças.

Indicações úteis

Quanto mais elevada for a temperatura do ar, mais a sua árvore de fruto necessitará de água.

Se o seu citrino cresceu para além da capacidade do vaso, é quase certo que não está a receber água suficiente. Como guia, a planta não deverá ultrapassar o dobro do tamanho do vaso. Se for maior, deverá ser re-envasada. Em geral, os citrinos necessitam de um solo bem drenado, a fim de permitir que o oxigénio chegue à raiz.

Recomenda-se a diluição de fertilizante, líquido ou granulado, na água da rega do seu citrino decorativo, uma vez que, desta forma, poderá regular a sua utilização bem melhor do que com fertilizantes granulados de libertação gradual ou em bastões. Durante o crescimento, nos meses mais frios, aconselha-se a redução na utilização de fertilizantes para apenas uma vez em cada três regas. O fruto amadurecerá através da energia armazenada na folhagem e nas hastes da planta, durante o período de crescimento. Nos meses mais quentes, quando a planta já estiver bem desenvolvida e apresentar novos rebentos, o ideal será fertilizá-la em cada rega. Todos os citrinos necessitam de muito Nitrogénio, pelo que o fertilizante adequado deverá conter mais Nitrogénio (N) do que Fósforo (P) ou potássio (K).

Problemas mais comuns

Excesso de Fertilizante

Utilizar mais quantidade de fertilizante do que recomendado, “queimará” as raízes e causará danos irreversíveis, que podem levar a doenças na raiz.

Falta de Fertilizante

A falta de fertilizante faz com que as folhas se tornem amarelas e apresentem clorose.
No caso de excesso de irrigação, poderão, igualmente, aparecer os mesmos sintomas de clorose.

https://citrusplants.info/files/uploads/fertilizer.jpg

O seu citrino pode viver sem qualquer problema numa sala aquecida, onde a taxa de humidade do ar é geralmente baixa.

Evitar a pulverização das folhas da planta, pois promove o desenvolvimento de doenças fúngicas.

Evitar que as folhas permaneçam húmidas ou molhadas mais do que algumas horas. Se a planta está numa estufa durante os meses de inverno, é importante abrir as janelas durante algum tempo para reduzir a humidade e permitir que as folhas sequem.

Para que a copa mantenha uma boa forma, poderá ser necessário podar o seu citrino, de vez em quando. Quando o podar, tenha em consideração que os ramos suprimidos não terão frutos nesse ano. Apenas alguns dos ramos mais longos deverão ser podados, de forma a não afetar os períodos de floração naturais. Para a poda, utilize uma boa tesoura, que corte bem os ramos. Pode apenas acima do nó, tal como ilustrado. As podas deverão ser efetuadas durante os meses de Verão e nunca depois de Setembro.

Quando devo transplantar o meu citrino?

Para se manterem saudáveis e com vigor, os citrinos devem ser mudados de vaso regularmente.

Em geral, a sua planta deve ser transplantada quando a sua altura for o dobro da altura do vaso, ou se estiver no mesmo vaso há mais de um ano.

A mudança de vaso deve efetuar-se na Primavera ou princípio do Verão, quando a planta apresentar sinais de crescimento. Não proceda à mudança no final do Outono ou no Inverno, porque as plantas não crescem durante esse período e as raízes não se ligarão ao novo substrato.

O vaso deverá ter o tamanho suficiente para permitir que a nova mistura fique alguns centímetros em volta da esfera de raiz.

Que tipo de terra devo usar?

Esta planta cresce numa mistura de fibra de coco e turfa. Pode ser mudada para qualquer mistura com pH de 4 a 5.5, com bom escoamento. A turfa grossa com 10% de areia afiada proverá estas condições.


Contacto

Amélia Palmela Decorações em Plantas Ornamentais

Av. Mariano de Carvalho, 27
2900-487 SETÚBAL


Tel: 351 265239058


Free Web Counter    Free Counter

 

 

 

 

 

 

 


Centro de Jardinagem

Horário de Funcionamento:

Segunda a Sexta:

das 09,00 às 19,00h

Ao Sábado:

das 09,00 às 13,00h

Encerra para Almoço das 12,30 às 14,30h

Descanso Semanal ao Domingo

Coordenadas GPS
Lat:  N 38,52641º
Lon: W 8,89302º

 

Idris

O Sistema de Rega para as suas Floreiras

 

 

Veja o Video