Platycerium bifurcatum

Platycerium bifurcatum

Código Vaso Diam Altura Preço Obs                                        
00.00000 14H   0,40 m

0,00 €

 

Platycerium bifurcatum

________________________________________________

Nome vulgar: Feto-chifres-de-veado, alcicorne

Nome Cientifico: Platycerium bifurcatum

Sinonímia: P. alcicorne

Família: Polypodiaceae

Género: Platycerium

Tipo de Planta:  Perene

Origem: Madagáscar e Ilhas Salomão

 

Descrição: Os platicérios são fetos epífitos originários das florestas tropicais húmidas que se adaptam bem, se forem gradualmente aclimatados, ao ambiente de interior. Todos pos­suem duas espécies de frondes: umas, na base da planta, que têm uma forma de escudo e se agarram ao suporte da planta; as outras, que -se espalham ou pendem, e apresen­tam uma forma semelhante às arma­ções dos veados.

A fronde inferior é estéril (incapaz de produzir esporos) e a sua princi­pal função na natureza - à parte se­gurar a planta ao seu suporte - é cap­tar os detritos que caem dos ramos das árvores em que a planta vive e que se podem transformar em ele­mentos nutritivos. Com o decorrer do tempo, esta fronde torna-se cas­tanha, com aspecto de papel, e co­meça a formar-se uma nova, bem verde, para a substituir. As outras frondes, com forma de armações de veado, são mais decorativas. Nascem normalmente várias destas frondes, carnudas, de um verde-escuro e re­vestidas de um indumento fino, branco e felpudo. Quando adultas, possuem esporos castanhos reunidos em aglomerados densos na página inferior e principalmente concentra­dos nas extremidades das frondes. O indumento felpudo e branco em­presta às frondes um tom verde-prateado. Todas estas plantas se desen­volvem melhor quando cultivadas em bocados de tronco ou raiz de fe­tos arbóreos (osmunda).

O P. bifurcatum (também conhecido por P. alcicorne) é, de entre todas as espécies do género Platycerium, a mais fácil de cultivar dentro de casa. A fronde estéril, única, está cons­tantemente a ser substituída, apare­cendo a nova como um pequeno ponto prateado sobre a precedente e espalhando-se gradualmente sobre a superfície seca, castanha e seme­lhante a papel da fronde velha. O novo «escudo», que quando jovem é de um verde-hortelã, torna-se gra­dualmente castanho.

As frondes férteis que crescem do centro da estéril podem atingir o comprimento de 1 m, e cada extre­midade terminal bifurcada pode me­dir cerca de 20 cm de comprimento. Estas frondes compridas são geralmente semierectas, enquanto as ex­tremidades bifurcadas pendem ligei­ramente.

.

Ambiente: Adequada para utilizações em interior quentes.

Floração: Insignificante apesar de muito perfumada, devendo ser removidas.

Temperatura: Os platicérios apre­ciam temperaturas até 24°C desde que o grau de humidade permaneça elevado. Quando cultivadas em am­bientes quentes, as plantas devem ser borrifadas ou pulverizadas uma vez por dia. A temperatura ideal para o Verão é de cerca de 21°C, e a mí­nima para o Inverno é aproximada­mente 13°C.

Luz: Os platicérios desenvolvem-se bem quando expostos a uma luz for­te, embora indirecta.

Rega: Durante a Primavera e o Ve­rão regue o suficiente para humede­cer totalmente a mistura, mas deixe esta secar quase completamente antes de regar de novo. Durante o período de repouso regue muito mais escas­samente, apenas o necessário para humedecer ligeiramente a mistura. Uma vez que a fronde estéril cobre frequentemente a superfície da mis­tura, pode tornar-se impossível regar os platicérios por cima. A forma de resolver o problema consiste em mergulhar a raiz num grande reci­piente com água. Durante o período de crescimento activo deixe a planta na água durante uns quinze minutos em cada rega. Durante o período de repouso não mantenha a planta na água por mais de um a dois minutos de cada vez. Quer a planta esteja numa fase activa, quer de repouso, não a coloque de novo na água senão quando tal for claramente necessário, o que pode notar se as frondes fica­rem exagerada mente pendentes ou se se verificar uma evidente perda de peso.

Adubação: Raramente é necessário adubar; durante o período de crescimento activo deve aplicar duas ou três vezes às plantas adultas – espe­cialmente as cultivadas em casca de árvore – um vulgar adubo liquido . Para uma adubação apropriada, o pedaço de casca de árvore onde se encontram as raízes deve ser mergulhado durante alguns minutos em água na qual foi dissolvido o adubo nas proporções devidas.

 

 

Conselhos: Embora os platicérios não sejam muito sujeitos a pragas, as cochonilhas infestam por vezes a página inferior das frondes. O tratamento, consiste numa aplicação de álcool desnaturado, feita com um pincel fino sobre cada insecto.

Limpe as frondes expondo-as a uma chuva miúda, numa zona de clima moderado ou pulverizando-as. Nunca as limpe com um pano ou esponja, pois removeriam o indumento felpudo, o que danificaria as frondes. Também não é aconselhável, deixar ficar água nas frondes

 

 


Contacto

Amélia Palmela Decorações em Plantas Ornamentais

Av. Mariano de Carvalho, 27
2900-487 SETÚBAL


Tel: 351 265239058


Free Web Counter    Free Counter

 

 

 

 

 

 

 


Centro de Jardinagem

Horário de Funcionamento:

Segunda a Sexta:

das 09,00 às 19,00h

Ao Sábado:

das 09,00 às 13,00h

Encerra para Almoço das 12,30 às 14,30h

Descanso Semanal ao Domingo

Coordenadas GPS
Lat:  N 38,52641º
Lon: W 8,89302º

 

Idris

O Sistema de Rega para as suas Floreiras

 

 

Veja o Video